22 maio 2012

Resenha: A Visita Cruel do Tempo - Jennifer Egan


Título Original: A Visit From the Goon Squad
Autor: Jennifer Egan
Editora: Intrínseca

Sinopse: Bennie Salazar é um executivo da indústria musical. Ex-integrante de uma banda de punk, ele foi o responsável pela descoberta e pelo sucesso dos Conduits, cujo guitarrista, Bosco, fazia com que Iggy Pop parecesse tranquilo no palco. Jules Jones é um repórter de celebridades preso por atacar uma atriz durante uma entrevista e vê na última — e suicida — turnê de Bosco a oportunidade de reerguer a própria carreira. Jules é irmão de Stephanie, casada com Bennie, que teve como mentor Lou, um produtor musical viciado em cocaína e em garotinhas. Sasha é a assistente cleptomaníaca de Bennie, e seu passado desregrado e seu futuro estruturado parecem tão desconexos quanto as tramas dos muitos personagens que compõem esta história sobre música, sobrevivência e a suscetibilidade humana sob as garras do tempo.

Resenha: Peguei esse livro para ler porque me apaixonei pela capa, essa mistura de tons de vermelho e esses rabiscos desconexos que se bem observados podem adquirir formas foi o que mais me chamou atenção nessa obra. Li o livro em pouco tempo, mas quando terminei de fechar o livro sinceramente não conseguir definir se eu havia gostado ou não do livro. No inicio somos apresentados aos personagens Sasha e Bennie, a autora descreve um pouco sobre o cotidiano e a vida de cada um dos - aparantemente - personagens principais. Acontece que no decorrer da história outros personagens surgem e você acaba por perceber que não existe um personagem central ou um personagem secundário, o que existe são vários personagens que se interligam de uma forma impressionante construindo uma longa cadeia que você só se dá conta ao terminar de ler o livro.

Sasha foi a certamente a personagem de quem mais gostei de conhecer, a história da sua vida não tem nada de incrível, mas a maneira como ela encara os seus próprios defeitos foi o que me agradou. Outra personagem que me cativou foi o esquecido astro de rock Bosco, que está em completa decadência, mas o seu espirito de originalidade não o abandonou. Scooty, o guitarrista que é um velho amigo de Bennie que consegue dar a volta por cima na vida e Dolly que possui um relacionamento completamente estranho com sua própria filha. É possível se deixar conquistar por todos os personagem, cada um tem a sua particularidade, sua história de vida e a autora consegue soltar as informações sobre cada um deles na medida e no tempo certo.

A narrativa se alterna entre o passado, o presente e o futuro, narrando sobre diversos conflitos do cotidiano e podemos perceber uma diferença entre as narrações que ora é feita em primeira pessoa, ora em terceira pessoa e acredito que isso tenha sido uma das coisas que me desagradou. As vezes sentia que estava engatando na leitura, que a autora estava enfim conseguindo me conquistar por completo e a narrativa mudava de repente. Fiquei confusa em determinadas partes, cheguei a pensar que a autora tinha divido o livro em vários contos sobre os personagens e não construído um romance completo e acabei por chegar a conclusão que os capítulos são de certa forma independente entre si e você deve estabelecer uma ligação entre todos eles. Acontecimentos da infância, da vida adulta e da adolescência são narrados, é preciso estar atenção as indicações que a autora dá para que possa compreender em que "tempo" você está na história. Como disse anteriormente você compreende o livro melhor depois de terminar de lê-lo, esperava que o livro me agradasse mais, esperava que fosse um daqueles livros que realmente deixam uma marca, mas termino a leitura sem ter tido essa sensação, apesar de ter sido uma leitura agradável. Pretendo reler esse livro um dia, tenho a impressão de que talvez eu que não tenha compreendido o livro de maneira correta e ao lê-lo novamente possa ter uma opinião diferente.

Em breve tem post especial sobre a Bienal do Livro de Minas e algumas surpresas pra vocês, fiquem ligados!


11 comentários:

  1. Eu sempre tive vontade de ler esse livro. Pensei em comprar, mas depois de ler algumas resenhas, o livro não é prioridade.
    Apesar de parecer meio confuso eu ainda pretendo lê-lo. ^^

    ResponderExcluir
  2. Então Naty, pela capa é um livro que eu não leria. Pela sinopse, talvez. Mas depois da sua resenha, só se eu tivesse muito dinheiro pra comprar todos que eu desejo, ai sim esse viria junto por acaso. Não foi um livro que me conquisto, eu gostei bastante da sua resenha, mas acho que o livro tem que ter aquele "quê" pra nos deixar com o gostinho de sair correndo pra comprar e ler na livraria mesmo. Esse gostinho ficou faltando.

    Beijos Naty.

    ResponderExcluir
  3. Oi Naty
    Acho que não leria este livro,primeiro eu não gostei muito da capa,e segundo a sinopse não me agradou muito não.Ahei meio confuso.
    mil bjs

    ResponderExcluir
  4. Oi, Naty!

    Pelo jeito a narrativa é tão emaranhada quanto a capa do livro,né? Mas achei a capa totalmente linda.
    olha, tem livros que nos deixa essa sensação,mesmo. A gente lê e não entende muito o porquê da história. contudo, concordo com você...temos que reler essas histórias pq quem sabe em uma nova leitura não consiguimos enxergá-lad de um modo diferente!

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Vi este livro numa livraria há algumas semanas, já estava com vontade de ler, agora entao...
    Obrigada pela dica hehe
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Oi amiga! *-*
    Então, eu nem sabia que esse livro existia! kkkkkkkkkkkk Ler resenhas sobre livros super famosos acaba caindo na rotina, por isso eu gosto muito que tu fala sobre livros que eu nunca ouvi falar, isso cria um diferencial para o seu blog!
    Sobre o livro: Eu achei o tema super interessante e a capa muito criativa! Adorei! *---*
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Pie Naty ;)
    Como assim gostou da capa? oO"
    Sinceramente eu não leria pela capa. Kkkkkkk
    Mas, a capa é uma coisa a parte.
    Ficaste confusa com o livro rsrsrs
    Se eu pegar então para ler puftfico louca pois sou confusa por natureza kkk
    Parabéns por ter conseguido ler :p
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Oi Naty!
    É difíci realmente avaliarmos um livro que nos deixa confusos. Não li ainda esse livro, na verdade, ainda não tinha lido nenhuma resenha dele. Gosto de opinar quando leio e só poderei avaliá-lo após a leitura. Muito boa sua resenha, expressando seus reais sentimentos.

    Vi que está participando do booktour do escritor Fábio Paulo e vim conhecer, seguir e comentar em seu blog.
    Gostei muito. Se desejar visitar o meu, vou gostar de ter sua presença por lá. Obrigada!
    Carinho não tem preço, doe-se.
    Blogueiras Unidas 1275!
    Luz e paz!
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. a capa do livro é muito legal
    mas acho que não estou no 'momento' de ler
    um livro desse tipo... é, difícil explicar
    shsuahsuais
    mas enfim, adorei a resenha, e como disse, achei a capa muito
    legal e original
    bjo ;*

    ResponderExcluir
  10. Oi

    Eu tenho e não tenho vontade de ler esse livro. Acho que um dia lerei, mas não por agora.

    Gabi

    ResponderExcluir
  11. Concrodo com tu, nem gostei tanto livro, talvez pq estava com altas expectativas, essas frases dos livros são tão exageradas.
    Adorei a resenha, gostei dos seus pontos, menos o da capa, discordo, é bem feinha nas mãos.

    Devo ser burrinha, e preciso de releitura mas... deixa pro um outro ano. Ainda mais agora que saiu a continuação.

    Bjs.

    ResponderExcluir

Terminou de ler o post? Aproveita para deixar seu comentário, é rapidinho! Os comentários são moderados portanto é necessário aguardar para que ele aparece por aqui. Obrigada!

Copyright © 2015 Just Books | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo