01 julho 2012

Resenha: Fahrenheit 451 - Ray Bradbury


Título Original: Fahrenheit 451
Autor: Ray Bradbury
Editora: Globo

Sinopse: Fahrenheit 451 é dividido em três partes: A lareira e a salamandra, A peneira e a areia e O clarão resplandecente. O livro conta a história de Guy Montag, que no início tem prazer com sua profissão de bombeiro, cuja função nessa sociedade imune a incêndios é queimar livros e tudo que diga respeito à leitura. Quando Montag conhece Clarisse McClellan, uma menina de dezesseis anos, ele percebe o quanto tem sido infeliz no seu relacionamento com a esposa, Mildred. Ele passa a se sentir incomodado com sua profissão e descontente com a autoridade e com os cidadãos. A partir daí, o protagonista tenta mudar a sociedade e encontrar sua felicidade.

Resenha: Tem livros que você lê e se esquece com facilidade, outros fica na sua memória por bastante tempo, outros você lembra ocasionalmente, e há aqueles que te fazem refletir de forma incessante. Fahrenheit 451 se encaixa nesse último tópico. É um livro que te leva a pensar inevitavelmente.

Escrito e publicado originalmente em 1953, Ray Bradbury criou uma distopia com todas as suas características habituais. Nessa história os bombeiros possuem uma função diferente, ao invés de apagar o fogo ele o começa. Sim, o bombeiro começa o fogo, seu trabalha é queimar e acabar com todos os livros. Ler livros é proibido.

Guy Montag é um bombeiro e começa a pensar de maneira diferente depois de conhecer Clarissa, sua vizinha adolescente que observa o mundo ao redor de maneira que ninguém mais faz. Guy passa a questionar o sistema e a refletir se o que eles fazem é realmente certo depois que Clarissa some. Passa a esconder livros em sua própria casa. Sua mulher é uma alienada que vive conversando com sua família televisiva e não consegue pensar em nada. Quando eu digo que não pensa em nada é em nada mesmo. As pessoas que vivem nessa sociedade são vazias, sem conhecimento, sem qualquer pensamento próprio.

A narrativa é leve e rápida, os acontecimentos decorrem de maneira frenética e muitos podem achar que o livro não é bem desenvolvido, que poderia haver uma história mais elabora, mas eu acredito que o autor escreveu o livro perfeitamente bem, nos passando as informações necessárias e deixando de lado outras e para completar implantando perguntas e mais perguntas na cabeça do leitor.

Consegue pensar uma sociedade onde não haja livros? Onde você não tem acesso a nenhum tipo de informação ou conhecimento, onde tudo o que você tem são parentes televisivos? Consegue se imaginar sem pensar? São essas perguntas que fiquei a me fazer depois de terminar essa leitura. Uma leitura que vejo como obrigatória para todo e qualquer leitor.
________________________________

E pra aqueles que estavam ansiosos, abaixo segue o resultado do Top Comentaristas. Mais uma vez houve empate, dessa vez entre 5 pessoas! Foram 10 postagens no mês sem contar com as de promoções e as 5 pessoas abaixo comentaram em todas elas:


1 - FRAN SCHARDOSIM
2 - Gabriela Silva
3 - Bruna Guedes
4 - Maria Silvana Santana
5 - Jenice

Sorteando pelo random. org, o número sorteado foi...


  Parabééns Fran! Você ganhou o Kit de A Escolha *-* 

Aguardo um e-mail com seus dados!

Ah, as outras meninas que não ganharam me mandem o endereço também, vou mandar alguns marcadores para vocês! E obrigada, de coração, a todo mundo que tem comentado no blog <3

Esse mês não vai rolar top comentaristas, mas não é por isso que vocês vão deixar de comentar, não é? Sem contar que tem gincana rolando no blog, participem! Mais tarde solto a 3ª prova (:


10 comentários:

  1. HA! Eu ganhei, não tem pra ninguém *rebola, rebola, rebola* , pronto, passou a euforia.
    Como assim queimar os livros? Eu não ia conseguir viver nesse lugar. Os livros são uma fuga pra qualquer pessoa. Eu não conhecia o livro, mas vou procurar para comprar o mais rápido possível. Adorei a resenha Naty.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Owwww!
    Naty, se olhasse o título ia ter uma resistência de ler o livro, mas lendo tua resenha, me interessei, já vai para minha lista de leitura =)
    Frann
    parabéns, feliz aniversário, atrasado e eis aí o livro, que pedi para a NAty te enviar de presente em meu nome rsrsrs
    Sua TERRORISTA rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  3. Uma sociedade onde não haja livros? Nãaaaaaaaaao. Não pode. UEHAUIEAUIH Eu morreria.

    Apesar do livro ser interessante, eu não aguento mais ler distopias. Desde apocalipse zumbie, até Jogos Vorazes. Não. Não. Não. AEUIAEUIAHUI Eu já sou super viajada em filosofia, minha mãe já reclama que vai me levar num psicologo... se eu ler esse livro (com uma sociedade sem livros!) eu devo endoidar de vez, sério.

    Brincadeiras a parte IUHAUIEHAUI adorei tua resenha Naty! Me explica como você consegue fazer uma tamanho médio e resumir tudo necessário? As minhas são enormes e só pioram a cada dia! Principalmente dos livros que eu gosto ): Qual é o truque?

    Beijos!
    Mars - Letras de Chá

    ResponderExcluir
  4. Parabéns Fran! Aproveite a Leitura...Sparks é uma ótima companhia.

    Oi,Naty! Claro que não deixaremos de comentar e passar por aqui. :-)

    Uma sociedade sem livro e acesso a informações? Nem pensar!! Este livro parece ser pra lá de interessante.Gostei do nome , da capa e do enredo.

    Quero esse pra mim...amo suas dicas!

    Beijos,
    Jenice

    ResponderExcluir
  5. Nossa amiga, o enredo desse livro é sinistro hein e a capa dá muito medo! hahahahhahaah
    Amei a sua resenha! Realmente é um livro que todo mundo deveria ler! (:
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Eu também não conhecia o livro, mas já estou querendo muito ele. Eu não conseguiria viver sem esses xodosinhos (livros) que eu amo tanto, que faz a gente viver centenas de vidas em apenas uma.

    Parabéns à Fran, por ter ganhado o top comentarista do mês! Aproveite!

    bjs
    bibliotecaaconchegante.blogspot.com

    ResponderExcluir