19 maio 2013

Resenha: O Homem Visível - Chuck Klosterman

O Homem Visível
Título Original: The Visible Man
Autor: Chuck Klosterman
Editora: Bertrand Brasil

Sinopse: A terapeuta Victoria Vick é contatada por um homem que acredita viver uma situação ímpar e exige que suas sessões se deem por telefone. Ela aceita, mas, com o avançar das conversas, ele se revela um homem enigmático, o que a faz se convencer de que ele está delirando. Y____, como ela decide chamá-lo, é um homem inteligente, bem-educado e culto, e alega ser um cientista que vem utilizando uma tecnologia de camuflagem. Ele afirma que é impossível para qualquer pessoa vê-lo enquanto usa o traje que desenvolveu, mas foge do termo “invisibilidade”. A um só tempo lúcido, tenso e divertido, o romance O homem visível, de Chuck Klosterman, trata de diversos temas da modernidade – como a importância da cultura, a influência da mídia, o voyeurismo e a contradição existente em ser uma pessoa considerada “normal”. Quando publicado nos Estados Unidos fez enorme sucesso, sendo aclamado pela crítica e pelos leitores.

Resenha: Victoria Vick é uma terapeuta e no livro O Homem Visível ela narra algumas consultas com um paciente a quem decide chamar de Y____. Esse homem a contrata e pede que suas consultas sejam dadas por telefone e logo mostra ser uma pessoa bem peculiar. Ele afirma ser um cientista que fez um traje que permite que as outras pessoas não o vejam. E ao longo das consultas ele vai contando a Victoria sobre suas bizarras experiências onde ele se infiltrava na casa de pessoas desconhecidas para observá-las nos momentos em que elas estivessem sozinhas já que - segundo ele -  é nesse momento que são quem realmente são.

De início Victoria duvida de tudo e chega a achar que Y____ possa estar delirando mas ao pedir que ele venha em uma consulta cara a cara no consultório ele aparece e lhe prova que o traje é sim verdadeiro. E é então que Victoria começa a se sentir ainda mais fascinada por todos os relatos que Y____ tem a dar, deixando que ele assuma o controle das consultas e ansiando por novas histórias. Seus relatos chegam a ser repulsivos e perturbadores, mas o modo e os pensamentos que Y____ exprime torna tudo realmente interessante.

Seu desejo é entender a consciência humana, Y____ acredita que observando as pessoas em momentos em que ninguém mais está por perto possa chegar a sua essência. E a terapeuta por mais que condene o que o paciente faz não deixa de levar as consultas adiante e a relação dos dois acaba saindo dos limites convencionais. Como o livro é narrado pela própria Victoria temos um foco maior em Y____  e o desenvolvimento da personagem acaba sendo precário, mas é compreensivo dado a situação em que chega.

Chuck Klosterman nos conduz nesse thriller carregado de críticas a televisão, as redes sociais e outros meios de comunicação em geral que manipulam e moldam o caráter das pessoas. É o tipo de livro que você não quer desgrudar os olhos, e é provável que passará algumas noites pensando sobre ele.

8 comentários:

  1. Lendo sua resenha, o livro parece ser muito interessante! Ainda não tinha lido sobre ele, mas gostei muito :)

    Beijo!
    www.pontodasletrasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia este livro, mas confesso que a capa é bem instigante!

    Adorei conhecê-lo.
    Adicionado ao Skoob :)

    Beijos e uma linda semana, Lu ♥
    http://luizando.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Ótima resenha, parece ser muito bom, ainda mais por ser um tema que trata o nosso mundo moderno.
    Adorei a capa, bem elaborada e misteriosa.

    Beijo
    Melissa
    criandorabiscos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Gostei da resenha Naty. Achei o livro bem interessante e fiquei bem curiosa para lê-lo. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  5. Naty, fiquei com muita vontade de ler esse livro, viu!? Sua resenha deixou bem as claras sobre o que estamos tratando... eu particularmente acho fantástica a forma como alguns autores usam seus livros para tecerem críticas àquilo que muitas vezes achamos ser o tudo em nossas vidas. É o tipo de livro que eu adoraria ler e refletir junto, concordar e/ou discordar, e criticar também. HAHAHAHA

    Ótima resenha!

    Um abraço!
    http://universoliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oiee Naty
    não conhecia o livro e achei a história muito interessante.
    Gosto de livros que nos deixam com um ponto de interrogação gigante após a leitura rs
    bjos

    ResponderExcluir
  7. Amiga, eu nem sabia que esse livro existia! hahahaha então, só por tu ter me apresentado á ele, eu já gostei do post! *---*
    Mais uma vez, a sua resenha ficou muito boa (como sempre) e eu tenho que confessar, que apesar desse livro não fazer muito o meu estilo de leitura, eu achei o tema muito interessante e gostaria de ler sim! *-*
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. É a primeira resenha que eu vejo sobre esse livro. Achei a capa muito bem feita, chama bastante atenção.
    É uma história super diferente né, Y____ (pq ela não chamava ele simplesmente de 'Y'? haha É cada coisa que esses autores inventam!) parece ser até meio sinistro.
    Como eu faço psicologia e já atendi pacientes, acho que observar essa relação entre terapeuta/paciente seria interessante pra mim.
    Se eu tiver oportunidade, vou ler pra ver o que acho!
    Bjo

    ResponderExcluir

Terminou de ler o post? Aproveita para deixar seu comentário, é rapidinho! Os comentários são moderados portanto é necessário aguardar para que ele aparece por aqui. Obrigada!

Copyright © 2015 Just Books | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo