14 março 2014

Dia Nacional da Poesia

A poesia ganhou um dia específico, sendo este criado em homenagem ao poeta brasileiro Antônio Frederico de Castro Alves (1847-1871) que nasceu no dia 14 de março. Ficou conhecido como o poeta dos escravos por ter lutado pela abolição da escravatura.




O importante é que hoje é o Dia Nacional da Poesia e decidi separar um poema que gosto muito para compartilhar aqui com vocês. Não tenho o costume de ler livros de poesias, mas frequentemente leio um ou outro poema por aí. O soneto abaixo é do Vinícius de Morais e quando estava na quarta série tive que decorá-lo para uma apresentação (que nem cheguei a realizar) e desde então esses versos ficaram gravados na minha memória.

Soneto do Amor Total 
Vinícius de Morais

Amo-te tanto, meu amor… não cante
O humano coração com mais verdade…
Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade

Amo-te afim, de um calmo amor prestante,
E te amo além, presente na saudade.
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.

Amo-te como um bicho, simplesmente,
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente.

E de te amar assim muito e amiúde,
É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do que pude.

E comemoração ao dia, que tal comentar aí embaixo um poema do seu gosto? Pode ser qualquer um que lembrar ou que encontrar pela internet. Vamos apenas compartilhar poesias! 



18 comentários:

  1. Natália um poema que li quando era criança e que ainda adoro é este aqui:

    Quando Ismália enlouqueceu,
    Pôs-se na torre a sonhar...
    Viu uma lua no céu,
    Viu outra lua no mar.

    No sonho em que se perdeu,
    Banhou-se toda em luar...
    Queria subir ao céu,
    Queria descer ao mar...

    E, no desvario seu,
    Na torre pôs-se a cantar...
    Estava perto do céu,
    Estava longe do mar...

    E como um anjo pendeu
    As asas para voar...
    Queria a lua do céu,
    Queria a lua do mar...

    As asas que Deus lhe deu
    Ruflaram de par em par...
    Sua alma subiu ao céu,
    Seu corpo desceu ao mar...

    Alphonsus de Guimaraens

    (desconstruindoaspalavras.blogspot.com.br)

    ResponderExcluir
  2. Amei seu post querida!!! Creio que poesia é um g^nero que encanta e engradece a alma!!
    Evou citar a que mais amo!!
    As sem-razões do amor

    Eu te amo porque te amo,
    Não precisas ser amante,
    e nem sempre sabes sê-lo.
    Eu te amo porque te amo.
    Amor é estado de graça
    e com amor não se paga.

    Amor é dado de graça,
    é semeado no vento,
    na cachoeira, no eclipse.
    Amor foge a dicionários
    e a regulamentos vários.

    Eu te amo porque não amo
    bastante ou demais a mim.
    Porque amor não se troca,
    não se conjuga nem se ama.
    Porque amor é amor a nada,
    feliz e forte em si mesmo.

    Amor é primo da morte,
    e da morte vencedor,
    por mais que o matem (e matam)
    a cada instante de amor.
    Carlos Drummond de Andrade

    Beijos querida ♥

    ResponderExcluir
  3. Eu gosto muito do Soneto de Separação do Vinicius de Moraes

    De repente do riso fez-se o pranto
    Silencioso e branco como a bruma
    E das bocas unidas fez-se a espuma
    E das mãos espalmadas fez-se o espanto

    De repente da calma fez-se o vento
    Que dos olhos desfez a última chama
    E da paixão fez-se o pressentimento
    E do momento imóvel fez-se o drama.

    De repente, não mais que de repente
    Fez-se de triste o que se fez amante
    E de sozinho o que se fez contente.

    Fez-se do amigo próximo o distante
    Fez-se da vida uma aventura errante
    De repente, não mais que de repente.

    ResponderExcluir
  4. Não vou muito com a cara de poesias. Tenho até um livro cheio delas, porém, nunca li. Acho que não é pra mim.

    ResponderExcluir
  5. Olá, Naty.
    Hoje é o dia da poesia e eu só soube por causa de seu tweet, rsrs. Mas o fato é que eu amo escrever poesias, mas preciso adquirir o costume de ler textos desse gênero tão maravilhoso! E quando falo assim quero dizer: comprar livros de poesia. Até porque quero viver a experiência completa, nada de ler pela internet. Mas adorei o post e a poesia que você selecionou!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Não sou muito fã de poesia não, mas as do Rodrigo de MVFDS da Paula Pimenta são de derreter o coração:

    Ela tem estrelas nos olhos
    E a lua crescente no sorriso
    Se eu fosse astronauta no seu céu
    Eu iria ao paraíso
    Ela tem o sol nos cabelos
    E um caleidoscópio no rosto
    O vermelho da sua boca
    Eu quero tanto saber o gosto
    Ela tem jeito de fada
    E um porte de princesa
    Mas quando passa não enxerga
    Que me deixa sem defesa
    Ela tem sonhos secretos
    E um corpo que vicia
    Me tira o juízo e o sono
    Me maltrata, me angustia
    Ela tem tudo aos seus pés
    E consegue seja o que for
    Eu não tenho mais que o desejo
    De um dia ser seu amor”

    Beijos Naty ! ♥

    ResponderExcluir
  7. Oi Nati, tudo bom?
    Eu não costumo ler poesia, mas gosto das mais famosas. A minha preferida é "Puedo Escribir los Versos mas Tristes esta Noche" do Pablo Neruda. Ele escreve muito bem e tem textos bons e ótimas poesias.
    Beijos!
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Saberás que não te amo e que te amo
    posto que de dois modos é a vida,
    a palavra é uma asa do silêncio,
    o fogo tem uma metade de frio.

    Eu te amo para começar a amar-te,
    para recomeçar o infinito
    e para não deixar de amar-te nunca:
    por isso não te amo ainda.

    Te amo e não te amo como se tivesse
    em minhas mãos as chaves da fortuna
    e um incerto destino desafortunado.

    Meu amor tem duas vidas para amar-te. Por isso te amo quando não te amo e por isso te amo quando te amo.

    *-*
    Sou apaixonada pelo Pablo Neruda, amo os poemas dele, mas como estou muito apaixonada, escolhi esse de amor. *-*

    ResponderExcluir
  9. Que delicia não sabia que hoje era o dia da poesia aí vai uma poesia que eu amo demais do nosso querido Mario Quintana:

    Um dia acordarás

    Um dia acordarás num quarto novo
    sem saber como foste para lá
    e as vestes que acharás ao pé do leito
    de tão estranhas te farão pasmar,

    a janela abrirás , devagarinho:
    fará nevoeiro e tu nada verás...
    Hás de tocar , a medo , a campainha
    e silenciosa , a porta se abrirá.

    E um ser que nunca viste , em um sorriso
    triste , te abraçará com seu maior carinho
    e há de dizer-te para teu assombro:

    -Não te assustes de mim , que sofro há tempo!
    Quero chorar - apenas - no te ombro
    e devorar teus olhos meu amor...

    Lindo eu adoro os poemas do Mario Quintana.
    bjs

    ResponderExcluir
  10. Eu não sou muito fã de poesias, mas Paulo Leminski é muito amor. Essa aqui, é simples, curta, rápida, mas passa a mensagem para cada pessoa, que tira sua própria interpretação.

    O que quer dizer diz.
    Não fica fazendo
    o que, um dia, eu sempre fiz.
    Não fica só querendo, querendo,
    coisa que eu nunca quis.
    O que quer dizer, diz.
    Só se dizendo num outro
    o que, um dia, se disse,
    um dia, vai ser feliz.

    ResponderExcluir
  11. Oi Naty,

    Adorei o post e a iniciativa de aqui colocarmos poemas! Assim podemos conhecer novos versos e autores, quem sabe...
    Quando penso em um poema, sempre me vem um do Mário Quintana à cabeça:

    POEMINHA DO CONTRA

    Todos estes que aí estão
    Atravancando o meu caminho,
    Eles passarão.
    Eu passarinho!

    Beijinhos,

    Marília
    http://www.paginaseletras.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi Naty!
    Que linda poesia, meu amor pela poesia esta começando a florescer bastante ultimamente, meu autor preferido é o Alvares de Azevedo, Saudade é um poema lindo.
    Abraços =D
    Guilherme,
    leituraforadeserie.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. lindoo o poema *-*
    gosto muito de Vinícios de Moraes, só lembro do poema de fidelidade dele que eu acho que é um dos maaais conhecidos entre todos..
    beijoss
    http://subliamr-me.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Feliz dia nacional da poesia :3
    Tomara
    Que você volte depressa

    Que você não se despeça

    Nunca mais do meu carinho
    E chore, se arrependa
    E pense muito
    Que é melhor se sofrer junto
    Que viver feliz sozinho
    Tomara
    Que a tristeza te convença
    Que a saudade não compensa
    E que a ausência não dá paz
    E o verdadeiro amor de quem se ama
    Tece a mesma antiga trama
    Que não se desfaz

    E a coisa mais divina
    Que há no mundo
    É viver cada segundo
    Como nunca mais…

    Vinícius de Moraes


    E-mail: juliamariamoraes2013@gmail.com
    Nome de seguidor: Julia Moraes

    ResponderExcluir
  15. Que doçura, Natália, não sabia dessa.
    Deixarei abaixo uma das minhas poesias favoritas que meu noivo escreveu:

    Reine

    Quando a noite cair e a lua reinar unânime sobre as estrelas,
    O céu ficar salpicado de pontos coloridos como uma joia cravada de diamantes,
    Eu fecharei os olhos, navegarei pelas ondas indevassáveis
    E chegarei ao ápice do gozo ao enxergar o brilho de seus olhos avistando algo banal.

    Quando a lua nova superar, mesmo que tardiamente, a lua minguante,
    Eu voarei pelos altos céus e roubarei os deuses.
    Farei de suas casas um pandemônio
    E trarei furtivamente você, a mais bela das estrelas, para mim.
    Quando a noite mais densa e mais escura se apoderar do céu
    E astros flamejantes colidirem na procura de sua rainha,
    Eu olharei de forma desdenhosa os que se intitulam soberanos,
    Pois saberei que já trouxe você para mim.
    E quando o sol sugar a lua com todo seu fervor e fúria,
    As estrelas se chocarem e desesperarem por tua falta
    E o mundo se tornar apenas o palco de loucura e dor,
    Eu olharei para o lado e saberei que valeu a pena:
    Tive você para mim.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso Top Comentarista

    ResponderExcluir
  16. Quando completei oito anos de idade, minha tia/madrinha escreveu o poema de Casimiro de Abreu pra mim:
    "MEUS OITO ANOS

    Oh! que saudades que tenho
    Da aurora da minha vida,
    Da minha infância querida
    Que os anos não trazem mais!
    Que amor, que sonhos, que flores,
    Naquelas tardes fagueiras
    À sombra das bananeiras,
    Debaixo dos laranjais!
    Como são belos os dias
    Do despontar da existência!
    — Respira a alma inocência
    Como perfumes a flor;
    O mar é — lago sereno,
    O céu — um manto azulado,
    O mundo — um sonho dourado,
    A vida — um hino d'amor!
    Que aurora, que sol, que vida,
    Que noites de melodia
    Naquela doce alegria,
    Naquele ingênuo folgar!
    O céu bordado d'estrelas,
    A terra de aromas cheia
    As ondas beijando a areia
    E a lua beijando o mar!
    Oh! dias da minha infância!
    Oh! meu céu de primavera!
    Que doce a vida não era
    Nessa risonha manhã!
    Em vez das mágoas de agora,
    Eu tinha nessas delícias
    De minha mãe as carícias
    E beijos de minhã irmã!
    Livre filho das montanhas,
    Eu ia bem satisfeito,
    Da camisa aberta o peito,
    — Pés descalços, braços nus
    — Correndo pelas campinas
    A roda das cachoeiras,
    Atrás das asas ligeiras
    Das borboletas azuis!
    Naqueles tempos ditosos
    Ia colher as pitangas,
    Trepava a tirar as mangas,
    Brincava à beira do mar;
    Rezava às Ave-Marias,
    Achava o céu sempre lindo.
    Adormecia sorrindo
    E despertava a cantar!
    ................................
    Oh! que saudades que tenho
    Da aurora da minha vida,
    Da minha infância querida
    Que os anos não trazem mais!
    — Que amor, que sonhos, que flores,
    Naquelas tardes fagueiras
    A sombra das bananeiras
    Debaixo dos laranjais!"

    ResponderExcluir
  17. Quando a luz dos olhos meus
    E a luz dos olhos teus
    Resolvem se encontrar
    Ai que bom que isso é meu Deus
    Que frio que me dá o encontro desse olhar
    Mas se a luz dos olhos teus
    Resiste aos olhos meus só p'ra me provocar
    Meu amor, juro por Deus me sinto incendiar
    Meu amor, juro por Deus
    Que a luz dos olhos meus já não pode esperar
    Quero a luz dos olhos meus
    Na luz dos olhos teus sem mais lará-lará
    Pela luz dos olhos teus
    Eu acho meu amor que só se pode achar
    Que a luz dos olhos meus precisa se casar.

    ResponderExcluir

Terminou de ler o post? Aproveita para deixar seu comentário, é rapidinho! Os comentários são moderados portanto é necessário aguardar para que ele aparece por aqui. Obrigada!

Copyright © 2015 Just Books | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo