27 dezembro 2014

Resenha: Invisível - Andrea Cremer e David Levithan

Título Original: Invisibility
Autor: Andrea Cremer e David Levithan
Editora: Galera Record

Sinopse: Stephen tem sido invisível por praticamente toda sua vida - por causa de uma maldição que seu avô, um poderoso conjurador de maldições, lançou sobre a mãe de Stephen antes de ele nascer. Então, quando Elizabeth se muda para o prédio de Stephen em Nova York vinda do Minnesota, ninguém está mais surpreso do que ele próprio com o fato de que ela pode vê-lo. Um amor começa a surgir e quando Stephen confia em Elizebth o seu segredo, os dois decidem mergulhar de cabeça do mundo secreto dos conjuradores de maldições e dos caçadores de feitiços para descobrir uma maneira de quebrar a maldição. Mas as coisas não saem como planejado, especialmente quando o avô de Stephen chega à cidade, descontando sua raiva em todo mundo que cruza seu caminho. No final, Elizabeth e Stephen devem decidir o quão grande é o sacrifício que estão dispostos a fazer para que Stephen se torne visível - porque a resposta pode significar a diferença entre a vida e a morte. Pelo menos para Elizabeth...

Resenha: Quando vi o livro Invisível pela primeira vez logo supôs se tratar de uma história onde havia um personagem introspectivo com dificuldades nas relações sociais. Quando comecei a ler, no entanto, me surpreendi ao perceber que se tratava de um personagem literalmente invisível.

Stephen nasceu invisível. Nem mesmo seus pais conseguem vê-lo. Ele passou toda a vida assim e quando a nova moradora do prédio consegue enxergá-lo a surpresa é imediata. Ansiando por esse contato que nunca teve ele começa a criar um laço de amizade com a garota, Elizabeth. Logo se descobre que ela é a única pessoa que consegue enxergá-lo e juntos os dois buscam reverter essa situação.

O livro começou maravilhosamente bem, com cenas leves e espontâneas com amplo espaço para desenvolvimento dos personagens e do enredo. Acontece que em determinado momento foi acrescentado um toque fantasioso a história. Conjuradores, rastreadores e magia passaram a incrementar a trama. Não que eu não goste de livros de fantasia, adoro na verdade, mas simplesmente não se relacionou bem com a proposta inicial do livro e foi o ponto fraco que fez toda a história desandar.

Os personagens não são muito cativantes. Stephen demorou para conquistar minha estima e não consegui gostar da Elizabeth. Laurie, irmão mais novo da Elizabeth, foi o único personagem que me ganhou por completo. Por mais que tenha pouca participação foi bem explorado e quem garantiu as melhores partes.

Achei o final corrido e confuso. Esperava por um toque reflexivo, como experimentei em outros livros do David Levithan, mas infelizmente não esteve presente. O livro conta com algumas passagens interessantes, mas nada marcante. Invisível não foi tudo aquilo que esperava mas também não foi uma completa decepção.

Livro cedido pela Editora Galera Record.

11 comentários:

  1. Olá tudo bem? eu adoro livros de parceria, acho que necessita de uma desenvoltura dos autores sem igual, tive esta experiencia com o David e o John em Will&Will tenho certeza que vou adorar Invisível, ainda mais depois de ler sua resenha ;)

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  2. Olá, Naty.
    Eu nunca li nenhuma obra do David, mas tenho muita curiosidade. Dizem que Todo Dia é maravilhoso. Quando li o primeiro parágrafo da sua resenha, pensei exatamente a mesma coisa. Achei que seria a história de alguém muito "tímido". Que bom que o livro foi mais inovador do que isso. Fiquei curioso para ler. Só não gostei muito da capa. Beijos!

    http://ymaia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Que bom que eu não solicitei esse livro, essa coisa de inserir magia em algo que não tem nada a ver sempre me deixa desgostosa mesmo, deixa tudo irreal DEMAIS. Não sei nem explicar direito, mas entendo a sensação que você sentiu. Adorei a resenha!
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Ah, que pena que o livro não foi aquela coca toda. Nunca li nada do David L, acho que o nome por si só gera bastante expectativa. Apesar de tudo, pelo menos esse livro tem uma capa bem fofinha. Enfim, sua resenha está muito boa e ponderada, Naty. Uma pena que você teve este sentimento que a história perdeu o fio da meada. Mas enfim, feliz 2015! Beijos

    Rachel Lima
    http://corujando.org

    ResponderExcluir
  5. Já tinha ouvido falar desse livro e confesso que fiquei muitoo interessa quando vi os autores responsáveis pela obra. Que pena que ele te desapontou assim, também estava esperando a mesma coisa que você sabe, mas aí você presenciou magia e tals, como você disse na resenha, acho que não caberia ao livro mas ainda tenho vontade lê-lo mesmo assim :)
    beijoos
    Sublimar-me

    ResponderExcluir
  6. Oi Nati! Gostei muito da escrita do David em "Will & Will" e "Todo Dia" e justamente por isso estava doidinha para ler seus outros títulos, até agora. Não sabia que o personagem era realmente invisível e se até pra você que gosta de fantasia ficou meio chatinho, penso como será comigo, que nem gosto desse gênero. :(
    Confesso que agora fiquei com um pé atrás, e um pouco chateada. Uma pena saber que não é um daqueles livros cativantes, e olha eu estava apostando tudo no autor! <\3

    Beijinho! ♥ Primeiro Livro

    ResponderExcluir
  7. Oi Nati, tudo bom?
    Tenho visto muitas resenhas negativas desse livro, falando principalmente dos rumos que a narrativa tomou. Só li um livro do David e foi uma história mais leve e despretensiosa. Eu até achei a proposta de Invisível ousada, mas tenho receio de não curtir a leitura.
    Beijos!
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Já ouvi falar sobre e li algumas resenhas, incluindo esta sua e este livro está me cativando ainda mais pelo fato de ser do David, que para mim é um ótimo autor. Mas, muitas pessoas já me disseram que o livro é O.K e com o final, assim como você disse, confuso, corrido sem nada de impactante.
    Não tenho certeza se compro ou não, vou pensar ainda.

    Beijo!

    www.blogsoudelua.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Nattttti, oi. LEMBRADEMIM? Então, estou louco por ler do David Levithan, simplesmente todos os livros desse cara parecem ser bons. Uma pena que você não gostou tanto assim do livro, mas não vou negar que estou ansioso para ler este, a proposta parecer ser muito boa e parecer ser até mesmo divertido. Mas vale ressaltar que esse livro foi escrito em parceria, então o final pode ter ficado por supervisão do outro e não de Levithan. Ai, vou ler esse sim, mesmo você não gostando! hahhaha

    Beijão, www.setecoisas.com

    ResponderExcluir
  10. Natália, eu amei a premissa do livro, mas também não curti muito quando chegou o ponto da fantasia... acho que bagunçou um pouco o livro :C

    Beijos,
    Caroline, do criticandoporai.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Oie, td bom?

    Do David eu só li The Lover's Dictionary e gostei do formato. Estou com Todo Dia para ler, mas ainda não rolou. E gostei da proposta desse livro. Acho que os personagens dele tem um toque diferente e interessante.

    Bjs!
    Arrastando as Alpargatas

    ResponderExcluir

Terminou de ler o post? Aproveita para deixar seu comentário, é rapidinho! Os comentários são moderados portanto é necessário aguardar para que ele aparece por aqui. Obrigada!

Copyright © 2015 Just Books | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo